Colágeno: como (e se) tomar

beleza-colageno-pele-POSTPor Manoella Oliveira
Imagem: Conrad Roset + Vanessa Siqueira

Já tem algum tempo que o colágeno invadiu as farmácias e lojas de “produtos natureba” brasileiras e pode ser encontrado em chocolates, balas, bebidas, cápsulas e, claro, em seu formato tradicional em pó. Apesar disso, muitas pessoas ainda se perguntam se ele realmente faz algum efeito. A dúvida faz todo o sentido. Como acontece em qualquer assunto referente ao corpo humano, os especialistas não chegam a um consenso. Já ouvi de alguns que o corpo não absorve essa proteína, assim como já ouvi o contrário.

Por isso, em vez de entrevistar uma dúzia de pessoas sobre o assunto e trazer informações conflituosas ou defender um ponto de vista e ignorar o outro, vamos falar do aspecto prático do colágeno.

Sabemos que há uma perda natural na produção de colágeno que acontece a partir dos 30 anos – ou dos 25, os profissionais não chegaram a uma conclusão sobre isso também – e que o ideal seria repor essa perda para o bem da nossa pele e das nossas articulações. Dá para ingerir colágeno naturalmente apenas comendo os alimentos certos? Existem alimentos que estimulam a produção de colágeno, como as carnes vermelhas e brancas, mas isso não é garantia de que isso vai formá-lo de fato ou repor o que você precisa.

Como eu não como carne, já tenho 30 anos e estava com um problema no joelho, comecei a tomar colágeno por indicação da minha nutricionista para auxiliar a lubrificação das minhas articulações, ou seja, para melhorar minha dor no joelho direito. Claro que esse não foi o único investimento que fiz, foi uma ação combinada de fisioterapia, musculação e colágeno e, sim, melhorou muito.

Não estou advogando em favor da funcionalidade do colágeno. O que estou dizendo é: se você quer saber se alguma coisa funciona no seu corpo, teste. Não adianta ouvir a opinião de um e de outro, coloque no seu corpo e observe os resultados.  E se você, como eu, é da turma do “pagar para ver”, minhas dicas para facilitar o seu teste são:

- Para ver os supostos efeitos do colágeno no corpo, é preciso ingerir 9g por dia. Isso significa que balinhas e cápsulas não serão suficientes. É preciso tomar colágeno em pó mesmo.

- Colágeno é chatinho para dissolver, especialmente em líquidos gelados, então, compre um hidrolisável e com vitaminas A e E, que ajudam na sua (suposta) absorção, misture na água (com garfo, ou vai grudar tudo na colher e vai haver desperdício) e deixe lá, enquanto faz outras coisas.

- Existem 300 sabores assim como os sem sabor e minha dica é: o sem sabor que eu provei tem sabor. É leve, mas tem. Se você pensou que tomar todo dia aquele copinho com o mesmo gosto pode te enjoar, faz sentido, mas não se iluda pensando que você vai comprar o sem sabor, colocar no seu leite e tomar como se nada tivesse acontecido. O colágeno em pó vai engrossar sua bebida e alterar um pouco o gosto. Por isso, pessoalmente, prefiro beber o colágeno com gosto, separado, e tomar meu café da manhã gostoso depois. Acho melhor do que estragar meu suco, leite ou chá. A boa notícia é que nunca testei em iogurte, então, pode ser que seja uma saída.

- Experimentei as marcas Sanavita (sem sabor) e Skinplex (abacaxi) que foram as que me recomendaram (colágeno hidrolisável e acrescido de vitaminas para facilitar a absorção). Sim, são caros, cerca de R$70 a latinha ou caixinha que vêm com quantidade suficiente para o mês. É caro, mas se é para testar se o corpo absorve, acho mais coerente testar a melhor versão.

- Minha nutricionista aconselhou que eu tomasse sempre de manhã ou no início da tarde. À noite o corpo tende a absorver menos.

Para avaliar os efeitos do colágeno, é preciso fazer um investimento salgado, pois em teoria, os resultados aparecem depois de 2 ou 3 meses de ingestão diária – mas eu não acredito que todo corpo seja igual, então, é possível que você veja bem antes e é possível que você não veja nunca. Boa sorte!



Deixe uma resposta